segunda-feira, junho 04, 2007

Boletim Extraordinário sobre a Série Amityville

SERVIÇO DE UTILIDADE PÚBLICA

Vou deixar registrados os nomes das seqüências picaretas que saíram em resultado do sucesso de “Terror em Amityville”, como serviço de utilidade pública e para evitar desperdício de tempo e dinheiro. Assisti, é claro, a todas, principalmente na adolescência e nas madrugadas insones. Mas não recomendo a experiência para ninguém. São elas:

“Amityville: A Casa do Medo”, de 1983 – já comentada aqui, pois veio de graça quando comprei a parte 2. Assisti e comentei no estrito dever de ofício (para mim é questão de honra comentar todos os filmes da minha coleção; quanto aos outros, me dou o direito de escolher se merece comentário ou não), portanto não riam da minha cara e ainda por cima foi a responsável pelo resto da “série” ser produzida para a TV, ou então, lançada direto em vídeo;

“Amityville: A Fuga do Mal”, de 1989 onde um abajur da casa original toca o puteiro (!). O aparelho elétrico até tem um design interessante, mas fica nisso;

“A Maldição de Amityville”, de 1990, onde um grupo de jovens passa a noite na casa, agora abandonada, embora a mesma tenha explodido na terceira parte. Pode isso, juiz? Espero que não, mas como fizeram acho que vale;

“Amityville 1992: Questão de Hora”, de 1992, onde o relógio da casa original toca o puteiro (!!!), embora seja o melhorzinho, com bom clima;

“Amityville: A Nova Geração”, de 1993, onde um espelho (!!!!) da casa original é responsável por mais destruição e, como cereja no bolo,

“Amityville: Casa de Bonecas”, de 1996, onde uma casa de bonecas com a forma da casa original toca o puteiro (!!!... Ah, desisto, essa doeu).

Deu para perceber a “originalidade” das produções, certo? Fuja delas como o Diabo da cruz!

Nenhum comentário: