sexta-feira, abril 06, 2007

Série Stephen King 20 / Montado na Bala

Montado na Bala (Riding The Bullet / Stephen King´s Riding The Bullet, EUA, 2004 – 98 min.)

“A Morte viaja rápido.”

Alan (Jonathan Jackson) é um universitário que leva algumas coisas muito a sério: seus estudos, sua atitude foda-se-o-mundo (ei, é o final da década de 60) e sua namorada Jessica (Érika Christensen). Quando, em seu aniversário, Jéssica insinua que quer terminar com ele, Alan, meio desesperado, entra na banheira numa depressão épica; e está quase cortando os pulsos quando um grupo de amigos, incluindo sua quase ex-namorada, invade o banheiro para uma festa surpresa de aniversário. Com o susto, a mão dele escorrega e seu pulso é severamente cortado.
No hospital, se recuperando, Jéssica informa que realmente quer terminar e curtir um pouco o amor livre, deixando um presente: um par de ingressos para o show do John Lennon. Surpreso com sua calma, Alan aceita o rompimento e vai para seu dormitório onde convida seus amigos Hector (Chris Gauthier) e Archie (Robin Nielsen) para irem ao show. No meio dos preparativos, Alan recebe uma ligação de uma vizinha de sua mãe, informando que ocorreu um derrame e Jean (Bárbara Hershey) está no hospital.
Ele larga tudo e sai para a cidade de Lewiston, distante quase 200 quilômetros, de carona com alguns tipos muito estranhos. Até que um cara (David Arquette) perto do cemitério, quase 32 quilômetros do hospital, o pega em um carro envenenado. O motorista é estranhamente familiar para Alan, muito parecido com a foto em uma lápide, de George Staub, falecido aos 27 anos de idade.
George, de repente, confirma que é mesmo o jovem da lápide e oferece uma escolha macabra para Alan...
Mais uma adaptação de King feita pelo diretor Mick Garris, baseado desta vez em uma das idéias mais interessantes do autor. “Montado na Bala” foi o primeiro conto da história vendido diretamente online e capítulo a capítulo; na época, por volta de 2002, foi uma revolução no mercado editorial e deixou as grandes editoras tremendo na base, pois se desse certo o livro de papel poderia perder um pouco da primazia para os leitores e em conseqüência tirar uma boa parte do lucro deles. Mas, em mais uma mostra do humor peculiar do mestre do suspense, a segunda vez que ele disponibilizou um conto, “The Plant”, no mesmo esquema, foi abandonada pelo autor depois de dois capítulos dizendo que “acho que muita gente não quer que eu continue fazendo isso...”.
Quanto ao filme, o resultado é meramente satisfatório. O roteiro apostou em muitas seqüências de sonho ou devaneios do personagem principal, que chega ao requinte de conversar consigo mesmo, prejudicando a linha narrativa e deixando muitas passagens confusas. Além disso, algumas piadinhas infames mal colocadas irritam o espectador, que acaba desejando um prosseguimento mais acelerado e tira sua atenção.
Em compensação, as cenas da estrada escura e assustadora são muito boas e o personagem de Arquette, George Staub, é realmente bacana. O ator, normalmente exagerado e caricato, foi seguro com força pelo diretor, não conseguindo estragar a sua atuação com tiques, caretas e expressões ridículas de praxe. Jonathan Jackson, como Alan, segura bem o protagonista e a sempre bonitona Bárbara Hershey tem uma participação legal.
Alguns destaques: a cena onde Alan encontra sua mãe na estrada; o ataque de um cachorro e a carona com um fazendeiro muito esquisito, vivido com brilho pelo veterano Cliff Robertson (o Tio Ben de “Homem-Aranha), um dos poucos alívios cômicos bem realizados pelo roteiro.
No geral, suspense aceitável, personagens divertidos (o par de amigos de Alan é impagável) e situações encenadas com competência pelo diretor, que mostra uma evolução constante como profissional e demonstra essa segurança maior no seu desenvolvimento de tramas e narrativas.
Se não tiver mais nada para ver, aposte. Para os fãs, não deixem de ver, pois Garris é um dos que mais procura manter a fidelidade às ótimas histórias de Stephen King.

Elenco: Jonathan Jackson (Alan Parker), David Arquette (George Staub), Cliff Robertson (Fazendeiro), Barbara Hershey (Jean Parker), Erika Christensen (Jessica Hadley), Barry W. Levy (Julian Parker), Jackson Warris (Alan – 6 anos), Jeffrey Ballard (Alan – 12 anos), Peter LaCroix (Alan – adolescente), Chris Gauthier (Hector Passmore), Robin Nielsen (Archie Howard), Matt Frewer (Sr. Clarkson), Simon Webb (Ceifador), Keith Dallas (Enfermeiro), Danielle Dunn-Morris (Sra. Janey McCurdy), Nicky Katt (Ferris), Francis Boyle (Cadáver Falante), David Purvis (Sr. Dalrymple), Greg Rogers (Vendedor do Cadillac), Dylan Basile (Garoto comprador do Cadillac), Mick Garris (Dr. Higgins), Mark McConchie (Dr. Shustek), Cynthia Garris (Enfermeira Annie Wilkes), Norman Krevoy (Zelador do Hospital).

Diretor: Mick Garris; Roteiro: Mick Garris, baseado no conto “Montado na Bala”, de Stephen King; Produção: Mick Garris, David Lancaster, Greg Malcolm, Joel T. Smith, T. Smith e Vicki Sotheran; Co-produção: Bill Kravitz e Julia Verdin; Produtores Associados: Chad Marting e Neal Ramer; Produção Executiva: Jan Fantl, Frank Hubner, Stephen King, Brad Krevoy e Jorg Westerkamp; Trilha Sonora: Nicholas Pike; Direção de Fotografia: Robert C. New; Montagem: Marshall Harvey; Seleção de Elenco: Audrey Skalbania e Julia Verdin; Design de Produção: Andrew Deskin; Direção de Arte: Kristina Lyne; Maquiagem: Ian C. Ballard, Scott Patton e Rebbecah Delchambre; Efeitos de Maquiagem: Howard Berger e Gregory Nicotero; Som: Christian Carruthers, Keith Elliott, Peter Kelly e Garrett Kerr; Efeitos Especiais: Mike Fields, Rachel Griffin, Garrett Immel, Grady Holder e Andrew Chamberlayne; Efeitos Visuais: Loren Bivens e Wendy Ruiz.

Classificação:
!!

Nenhum comentário: