segunda-feira, abril 02, 2007

Série Stephen King 19 / Desespero

Desespero (Desperation / Stephen King’s Desperation, EUA, 2006 – 131 min. – TV)

“O Mal vive aqui.”

Um jovem casal, Peter (Henry Thomas) e Mary Jackson (Annabeth Gish), dirigem pelo deserto de Nevada em direção à Califórnia, com o carro da irmã dele. De repente, são parados na estrada por um policial muito esquisitão, que diz coisas sem sentido, tem um sorriso demente no rosto e prende os dois para levá-los para a cidade fantasma de Desespero. No local, os dois descobrem que o policial se chama Collie Entrangian (Ron Perlman) e existem mais pessoas na mesma condição: Ralph (Matt Frewer), Ellie (Sylva Kelegian) e David Carver (Shane Haboucha) e ainda Tom Billingsley (Charles Durning).
Os presos por Collie ainda receberiam a companhia de John Marinville (Tom Skerritt), um escritor que, quase no ostracismo por causa de um problema sério de alcoolismo, buscava a redenção com uma viagem pelos EUA com o apoio de Steve (Stephen Weber). Não sem antes sofrerem algumas baixas, o grupo, reforçado por Cynthia (Kelly Overton), uma caronista pega na estrada por Steve, percebe que algo de muito errado está acontecendo na cidade, pois o policial está apodrecendo ante seus olhos e tudo leva a crer que tem a ver com os eventos ocorridos na mina de Desespero, recentemente reaberta depois de ser encerrada por causa de um desabamento.
Liderados por David e sua fé inabalável, os novos companheiros precisam enfrentar Tak, uma entidade demoníaca antiga de outra dimensão e saírem vivos para contarem a história.
Uma boa adaptação do livro de Stephen King, o filme alcançou um bom grau de fidelidade à fonte. Claro que o fato do próprio autor roteirizar ajudou, pois a trama possui muitos personagens diferentes e seria fácil cair na tentação de suprimir importantes eventos para o desenvolvimento da história e fazer mais um filme de monstro com grife, embora tedioso. O roteiro buscou trazer todos os diálogos legais e manteve o nível com algum sarcasmo e boas tiradas (tem uma piadinha hilária com "O Senhor dos Anéis").
Para quem leu o livro, fica uma experiência mais legal, porque o reconhecimento das passagens e cenas é imediata, com o bom trabalho da equipe do diretor Mick Garris (em sua sexta parceria com o escritor, desde 1992), destacando a boa montagem de Patrick McMahon, deixando vários cliffhangers legais (ganchos para deixar o interesse do espectador alto para a próxima cena depois dos comerciais) para nos divertir e mais um excelente desempenho dos mestres dos efeitos de maquiagem Berger e Nicotero, com efeitos surpreendentemente sangrentos para um filme de TV. O mesmo vale para diversas cenas tétricas e macabras, com muitos corpos pendurados, membros decepados e cadáveres pelo chão, muito bem filmadas com enquadramentos e iluminação mais dark do que se poderia esperar.
O elenco é bastante homogêneo e gostei bastante da “cara” dos personagens que eu já conhecia, exceto por Sylva Kelegian como Ellie Carver, histérica demais para o meu gosto. Os destaques no elenco vão para: Perlman, dando show como o maníaco policial Collie (um ator muito bacana, que ficou meio de fora dos grandes papéis por causa de sua aparência diferente e que tem afastado essa pecha com ótimas performances em personagens nada convencionais), dono dos melhores diálogos; a reaparição de Henry Thomas, que andava meio sumido, mesmo com pouco tempo em cena soube dar relevância para seu personagem e o veterano Tom Skerritt, com seu indefectível bigode, divertido como o ex-bebum e mui sarcástico escritor em fim de carreira.
No lado negativo, ficou óbvio que precisaram “correr” com a história, pois muitos eventos legais foram encurtados e deixaram aquela impressão de hum-acho-que-faltou-alguma-coisa-aqui,em detrimento de muitas cenas de falação interminável sobre as origens de Tak e Deus demais para o meu saco. Outro aspecto que me chamou a atenção foi o fato de que os personagens ficavam sabendo os nomes e angústias uns dos outros meio de repente, as ligações entre os sobreviventes ficaram frouxas e, consequentemente, a resolução das situações apresentadas pelo roteiro parecem “jogadas” na tela, em vez de resultarem de alguma coisa que os personagens tenham feito ou deixado de fazer.
Isso aconteceu, imagino, pelo fato de o autor não querer deixar de fora tudo que achasse relevante do seu bebê; e como é difícil ter a objetividade e desprendimentos necessários para adaptar algo que você mesmo produziu e cortar gordura, isso prejudicou o produto final.
No geral, nada excepcional, mas diverte e mantém o interesse pelas suas mais de duas horas de projeção. Mais indicado para quem já leu o livro. Porém, os neófitos ou quem nunca ouviu falar de Stephen King também vai curtir essa voltinha de montanha-russa de terror com certo conteúdo.

Elenco: Tom Skerritt (John Edward Marinville), Ron Perlman (Collie Entrangian), Shane Haboucha (David Carver), Steven Weber (Steve Ames), Annabeth Gish (Mary Jackson), Charles Durning (Tom Billingsley), Matt Frewer (Ralph Carver), Henry Thomas (Peter Jackson), Kelly Overton (Cynthia Smith), Sylva Kelegian (Ellie Carver), Ewan Chung (Shih), Alain Uy (Cha’an), Trieu Tran (Jovem vietcongue), Tom Parker (John jovem), Darren Victoria (Brian Ross), Glenn R. Wilder (Motorista Bêbado).

Diretor: Mick Garris; Roteiro: Stephen King, baseado em seu livro “Desespero”; Produção: Kelly Van Horn; Produtor Associado: Bruce Dunn; Produção Executiva: Mick Garris, Stephen King e Mark Sennet; Trilha Sonora: Nicholas Pike; Direção de Fotografia: Christian Sebaldt; Montagem: Patrick McMahon; Seleção de Elenco: Lynn Kressel; Design de Produção: Phil Dagort; Direção de Arte: Jason Weil; Cenografia: Márcia Calosio; Figurinos: Warden Neil; Maquiagem: Kim Collea e Tina Sims; Efeitos de Maquiagem; Howard Berger, Greg Nicotero e Jake Garber; Som: Mark Binder, Kenneth R. Burton, André Perreault e Richard Taylor; Efeitos de Som: Bob Costanza; Efeitos Especiais: Lou Carlucci e Andy Schoenberg; Efeitos Visuais: Loren Bivens e Aaron Cullen.

Classificação:
!!

2 comentários:

Janaína disse...

Amigo, vc assitiu a esse filme, Desespero? Onde vc conseguiu???

Abesapien disse...

Janaína, primeiramente, obrigado por acessar o blog... Fiquei contente com seu comment!
O filme "Desespero" foi lançado em DVD este ano, procure na sua locadora que vc acha, tá?
um beijo e apareça sempre!