segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Série Stephen King 17 / Às Vezes Eles Voltam

Às Vezes, Eles Voltam (Sometimes They Come Back / Stephen King’s Sometimes They Come Back, EUA, 1991 – 97 min.)

“Com ‘Cemitério Maldito’ e ‘Louca Obsessão’, Stephen King Matou Você de Medo. Agora, Ele Vai Ressuscitar Você de Tanto Gritar.”

James Norman (Tim Matheson) é um professor secundário que volta para sua cidade natal com a família, buscando apagar as marcas de um colapso nervoso e recuperar sua carreira. Ele arruma emprego em sua antiga escola e recomeça a lecionar com certo sucesso.
Um dia, Billy Stearns (Matt Nolan), aluno da sua pior classe, sofre um misterioso acidente e outro rapaz, Richard Lawson (Robert Rusler) vem para o seu lugar; Lawson é estranhamente familiar para Jimmy. Outros acidentes fatais ocorrem e chegam também Vinnie (Nicholas Sadler) e David (Bentley Mitchum). Numa noite de pesadelos, Jimmy recorda de onde conhece os três rapazes. Eles faziam parte de uma gangue que atacou a ele e ao irmão, Wayne (Chris Demetral) onde o resultado foi o assassinato deste último.
Assustado, pois os desordeiros começam a ameaçar sua família e ele nunca se recuperou do trauma da morte do irmão mais velho, Jimmy decide combater seus demônios do passado com demônios do presente, não importa o custo...
Filme feito para a TV e uma grata surpresa, com bom nível técnico e direção segura de McLoughlin, que entrega uma adaptação bastante decente da obra do mestre Stephen King, tendo um suspense e trama bem construídos e cenas bem realizadas.
Claro que o argumento sofreu uma óbvia suavização para poder ser aceito pela televisão americana, bastante rígida com a censura das produções que leva ao ar, mas essa ocorrência não tira, surpreendentemente, a força da trama, que consegue manter a tensão elevada e com algumas cenas mais ousadas na violência. O trabalho do elenco é bem aceitável, com destaque para o protagonista Matheson que compõe com competência o frustrado e amargurado Jimmy Norman, além da boa participação de Brooke Adams (de “A Hora da Zona Morta”, já comentado aqui no blog) e dos rapazes da gangue, que contam com Rusler (de “A Hora do Pesadelo II”), Sadler (filho de William Sadler) e Mitchum (filho de Robert Mitchum).
Chamo a atenção para as cenas do ataque aos dois irmãos e o duelo final, bastante eficiente e que amarra bem o desenvolvimento da história, com interessantes toques sobrenaturais.
O filme fez bastante sucesso em sua estréia e animou o produtor De Laurentiis a lançá-lo nos cinemas no resto do mundo e até mesmo nos EUA, onde fez uma carreira digna na bilheteria.
Gerou mais duas seqüências, ambas naturalmente inferiores e com argumentos progressivamente mais forçados e distanciados do original, embora tenham razoáveis efeitos especiais e de maquiagem para os orçamentos de dinheiro de pinga. Não recomendável para pessoas que não curtam alucinadamente o gênero, pois são meio pentelhas de se ver. Claro que já vi todas, fazer o que, não é mesmo, amigos leitores?

Elenco: Tim Matheson (James Norman), Brooke Adams (Sally Norman), Robert Rusler (Richard Lawson), Nicholas Sadler (Vinnie Vincent), Bentley Mitchum (David North), Don Ruffin (Carl Mueller – 17 anos), William Sanderson (Carl Mueller – 44 anos), Chris Demetral (Wayne Norman), Matt Nolan (Billy Sterns), Tassia Valenza (Kate), Chadd Nyerges (Chip Osway), Kimball Cummings (Policial Nell – Jovem), Duncan McLeod (Policial Nell – Velho), Timothy Graham (Chefe Pappas), William Kuhlke (Diretor Simmons), Zachary Ball (Jimmy Norman – 6 anos), Nancy Mc Loughlin (Dra. Bernardi), Robert Hy Gorman (Scott Norman).

Diretor: Tom McLoughlin; Roteiro: Lawrence Konner e Mark Rosenthal, baseados no conto de Stephen King; Produção: Michael S. Murphey; Co-produção: Milton Subotsky e David C. Thomas; Produção Executiva: Dino De Laurentiis; Trilha Sonora: Terry Plumeri; Diretor de Fotografia: Bryan England; Montagem: Charles Bornstein; Seleção de Elenco: David Cohn; Design de Produção: Philip Dean Foreman; Direção de Arte: Timothy R. Bauer; Figurinos: Karen Patch; Maquiagem: Gabriel Bartalos, Patti Brand e Daniel Marc; Efeitos de Maquiagem: Joel Harlow; Som: Jeremy Hoenack, Michael Payne e Melissa Sherwood Hofmann; Efeitos Visuais: Alan McFarland.

Classificação: !!

2 comentários:

Anônimo disse...

Bom filme. Parece ser bem desconhecido no Brasil. Na internet se encontram tanto o filme em torrent quanto a legenda.

Leeh disse...

pensei q nem fosse encontrar mais arquivos desse filme! 16-06-2009
há tempos assisti, mas não imaginava q ainda existiria vestígios dele.