domingo, fevereiro 11, 2007

A Casa do Espanto 2

A Casa do Espanto 2 (House II: The Second Story, EUA, 1987 – 88 min.)

“O arrepio sempre toca duas vezes!”

Jesse (Arye Gross) recebe a notícia de que herdou a casa onde seus pais foram misteriosamente assassinados alguns anos atrás. Acompanhado de sua namorada, Kate (Lar Park Lincoln) e do amigo pateta Charlie (Jonathan Stark), ele vai tomar posse de sua nova residência. Charlie leva ainda sua namorada estridente, a pretensa cantora Jana (Amy Yasbeck, de “O Pestinha” e “Drácula – Morto e Feliz”) para tentar arranjar um contrato com a gravadora de Kate.
No local, Jesse encontra fotos do seu avô, com o mesmo nome dele, que foi um bandido do Velho Oeste. Curioso com as histórias sobre um tesouro que o velho teria encontrado e escondido em algum lugar, o rapaz investiga mais a fundo e descobre boatos e rumores de que o tal tesouro foi enterrado junto com o parente. Com a ajuda de Charlie, Jesse vai até o cemitério e verifica que o avô (Royal Dano), ainda está vivo graças a um crânio de cristal asteca que encontrou durante suas andanças pelo Oeste. O complicado é que o artefato é perseguido por um monte de gente, incluindo o ex-parceiro do avô, John (Bill Maher), que quer a caveira para ter a vida eterna e soltar os espíritos da casa, que na verdade é um portal dimensional criado pela caveira asteca, no mundo normal.
A partir daí, uma sucessão de perseguições, envolvendo viagens temporais, homens da caverna, astecas sanguinários e um eletricista muito estranho, Bill (John Ratzenberger), até que a caveira possa finalmente descansar.
Seqüência do filme de 1986, onde o roteirista e diretor Ethan Wiley partiu para o escracho total e sem nenhuma intenção de assustar ninguém, a não ser pela quantidade de piadinhas infames e diálogos inacreditáveis, mudando a casa e os protagonistas. A viagem na maionese é tão grande que não dá para não se divertir com as situações inusitadas que o cara bolou para seus personagens, que chegam ao requinte de mostrar um cachorro-verme e um pássaro pré-histórico, além de uma virgem que ia ser sacrificada e os panacas salvam com a ajuda do tal eletricista. Temos ainda um hilário duelo ao estilo do Oeste entre Jesse e o morto-vivo que foi parceiro do avô.
Muito bom tecnicamente, contando com efeitos de maquiagem e criaturas melequentas realizadas pelo mestre Chris Walas (de “A Mosca”) e bastante correria pela casa, com atuações bacanas, de tão ruins, de Arye Gross (fez bastante sucesso na década de 80 com filmes adolescentes) e Jonathan Stark (o assustador auxiliar do vampiro Jerry Dandridge no sucesso “A Hora do Espanto”, de 1985). O veterano Royal Dano também faz bonito como o velho bandido, que chega inclusive a curtir uma festinha de Halloween com uma moçoila feliz e toma cerveja e uísque de monte.
Atentem para a participação pequena do nosso velho e bom Jason Voorhees da série “Sexta-Feira 13”, Kane Hodder, como um gorila (é, é isso mesmo).
No geral, não compromete a pipoca de sábado à tarde, mas não espere muito além de risadinhas amarelas.

Elenco: Arye Gross (Jesse), Jonathan Stark (Charlie), Royal Dano (Vovô), Bill Maher (John), John Ratzenberger (Bill), Lar Park Lincoln (Kate), Amy Yasbeck (Jana), Gregory Walcott (Xerife), Dwier Brown (Clarence), Lenora May (Judith), Devin De Vasquez (Virgem), Jayne Modean (Rochelle), Ronn Carroll (Policial), Dean Cleverdon (Slim), Doug MacHugh (Alto Sacerdote), Mitzi Kapture (Cowgirl), David Arnott (Banana), Kane Hodder (Gorila), Susan Isaac (Gata), Gus Rethwisch (Arnold, o Bárbaro).

Diretor: Ethan Wiley; Roteiro: Ethan Wiley; Produção: Sean S. Cunningham; Produtor Associado: Andrew Z. Davis; Produção Executiva: Roger Corman; Trilha Sonora: Harry Manfredini; Direção de Fotografia: Mac Ahlberg; Montagem: Martin Nicholson; Seleção de Elenco: Melissa Skoff; Design de Produção: Gregg Fonseca; Direção de Arte: Don Diers e Larry Fulton; Cenografia: Dorree Cooper; Figurinos: Heidi F. Gilles e Heidi Kaczenski; Maquiagem: Kelly Lepkowski e Daniel Marc; Efeitos de Maquiagem: Mike Smithson; Efeitos Especiais: Mark Sullivan e Chris Walas; Efeitos Visuais: James Isaac.

Classificação: !!

Nenhum comentário: