domingo, dezembro 10, 2006

A Volta do Padrasto

A Volta do Padrasto (Stepfather II; Stepfather 2: Make Room For Daddy, EUA, 1989 - 90 min.)

“Esta noite, o Papai está vindo para fatiar muito mais do que só o bolo!”

Depois dos eventos do primeiro filme, vemos O Padrasto (Terry O’Quinn) em um asilo para doentes mentais, recuperado (milagre!) fisicamente e começando o tratamento com um novo psiquiatra, Dr. Joseph Danvers (Henry Brown). Ele engana o médico, o apunhala, mata também um guarda de segurança e foge calmamente, andando pela porta da frente.
Ele, ciente de que todos estarão à sua procura, vai até o outro lado do país, assumindo a identidade de um psiquiatra, Dr. Gene Clifford, especializado em terapia de casais; lá, ele conhece a doce Carol (Meg Foster) e o filho dela, Todd (Jonathan Brandis, de “It – Uma Obra-Prima do Medo”, já comentado aqui no blog), ambos sofrendo com o abandono do pai e marido Phil (Mitchell Laurance), que fugiu com a secretária.
Vendo ali a oportunidade ideal para construir a família perfeita que sempre sonhou, Gene não vai deixar ninguém se metendo no caminho em direção ao seu objetivo...
Continuação desnecessária do filme de 1987 (o clímax já resolvia satisfatoriamente a situação), que, como o personagem bem gosta, segue uma tradição: é uma rematada porcaria.
Só que é uma porcaria bem-feitinha até e com tudo que um fã do gênero gosta: sangue de monte e cenas bem grotescas de assassinatos (o problema é o que fica entre as mortes e quando o ator principal não está em cena). Dirigida com certa segurança pelo especialista em continuações Jeff Burr (fez nada menos do que cinco filmes que eram continuações de outros), a produção, mais uma vez, é salva pela atuação espetacular de Terry O’Quinn. Quase sempre relegado a papeis coadjuvantes, o que é uma pena, o ator refinou o personagem, deixando-o ainda mais soturno e perigoso, uma espécie de Tom Ripley psicopata, ligando e desligando o charme como uma lanterna.
Só lamento que o resto do elenco seja tão ruim e o roteiro não fugir, nem um pouco que seja, da estrutura do original, prejudicando bastante o resultado final; pela carnificina do clímax (apesar da solução escrota para a descoberta da identidade de Gene) e o personagem tão fascinante, ganha duas estrelinhas. Embora já se possa ter uma idéia do espírito da seqüência pelo subtítulo “Make Room For Daddy – Dá um espaço para o papai”. Francamente...
Teve ainda mais uma continuação, com outro ator no lugar de O’Quinn, totalmente besta e tosca chamada “O Padrasto 3 – Ele Está de Volta”. Nem perca tempo de ver.

Elenco: Terry O’Quinn (Dr. Gene Clifford / O Padrasto), Meg Foster (Carol Grayland), Caroline Williams (Matty Crimmins), Jonathan Brandis (Todd Grayland), Henry Brown (Dr. Joseph Danvers), Mitchell Laurance (Phil Grayland), Miriam Byrd-Nethery (Sally Jenkins), Leon Martell (Smitty), Renata Scott (Betty Willis), John O’Leary (Sam Watkins), Glen Adams (Vendedor), Eric Brown (Atendente do Hotel).

Diretor: Jeff Burr; Roteiro: John Auerbach, baseado no personagem criado por Carolyn Lefcourt, Brian Garfield e Donald E. Westlake; Produção: William Burr e Darin Scott; Produção Executiva: Carol Lampman; Trilha Sonora: Jim Manzie e Pat Regan; Diretor de Fotografia: Jacek Laskus; Montagem: Pasquale A. Buba; Seleção de Elenco: Rosemary Welden; Design de Produção: Byrnadette Disanto; Direção de Arte: Aram Allan; Cenografia:Johnna Butler; Figurinos: Julie Carnahan; Maquiagem: Susan Mills; Som: Bruce Stubblefield, Jay Harding, John Stephens e Bill Benten; Efeitos de Maquiagem: Michele Burke.

Classificação:
!!

Nenhum comentário: