sexta-feira, março 31, 2006

Um Drink no Inferno

Um Drink no Inferno (From Dusk Till Dawn, EUA, 1996)

"Uma noite é tudo que está entre eles e a liberdade. Mas vai ser uma noite dos diabos."

Dois irmãos, Seth e Richard Gecko (George Clooney e Quentin Tarantino) estão em fuga, depois de Richie ter resgatado Seth de um tribunal no Texas; para escaparem, a chance é chegar até o México, onde Seth já tem um esquema armado com um comparsa para viverem o resto da carreira numa boa, em uma cidade litorânea. Só que estão com metade da polícia estadual e o FBI atrás deles. Para conseguir este objetivo, Seth seqüestra uma família, chefiada por Jacob (Harvey Keitel), um pastor metodista que perdeu a fé depois da morte da esposa e viaja acompanhado dos dois filhos, Kate (Juliette Lewis) e Scott (Ernest Liu). O ponto de encontro para os bandidos é o bar Titty Twister, depois da fronteira, onde Carlos (Cheech Marin, em um dos seus três papéis) vai dar as coordenadas para que tudo se ajeite.
No bar, tudo corre bem até que os rapazes descobrem que os donos e a maioria dos freqüentadores do lugar são vampiros sedentos de sangue, liderados por Santanico Pandemonium (Salma Hayek, um dos mais lindos chaveirinhos de todos os tempos) e que terão que lutar para conseguirem sobreviver.
São, na verdade, dois filmes dentro de um: a primeira metade é um western-policial e a segunda, um terrorzão trash-saguinolento, ambos da melhor qualidade. Tudo funciona: o elenco, com destaque para Clooney, comprovando que é o ator mais cool da história e as participações hilárias de Tom Savini (colaborador de George A. Romero, rei da maquiagem de zumbis) e Cheech Marin, ator cult que defende com garra três papéis completamente diferentes um do outro; a maquiagem, simplesmente fantástica; efeitos especiais e visuais sem falhas; edição espertíssima, que dá o tom certo para cada metade do filme; ótimos diálogos, marca registrada de Tarantino e uma direção inspirada de Rodriguez, no filme que consolidou seu status em Hollywood; em suma, arraso em todas as frentes.
Gerou duas seqüências, não tão legais; porém, ainda assim, deglutíveis sem problemas. Não percam, que é diversão pura.

Elenco: George Clooney (Seth Gecko), Harvey Keitel (Jacob Fuller), Quentin Tarantino (Richard Gecko), Juliette Lewis (Kate Fuller), Ernest Liu (Scott Fuller), Salma Hayek (Santanico Pandemonium), Cheech Marin (Guarda de Fronteira/Chet Xoxota/Carlos), Danny Trejo (Charlie Navalha), Tom Savini (Sex Machine), Fred Williamson (Frost), Michael Parks (Earl McGraw, Texas Ranger), Brenda Hillhouse (Refém Gloria Hill), John Saxon (Stanley Chase, Agente do FBI), Marc Lawrence (Dono do Motel), Kelly Preston (Kelly Houge, apresentadora de TV), John Hawkes (Pete Bottoms, Balconista da Loja de Bebidas), Tito Larriva (guitarrista da banda Tetas do Tufão), Peter Atanasoff (Saxofonista da banda Tetas do Tufão), Johnny “Vatos” Hernandez (bateristas da banda Tetas do Tufão), Aimee Graham (Refém Loira), Heidi McNeal (Refém Ruiva), Ernest M. Garcia (Emilio Grandão), Gregory Nicotero (Amigo de Sex Machine), Cristos (Danny) e Mike Moroff (Manny).

Diretor: Robert Rodriguez; Roteiro: Robert Kurtzman (história) e Quentin Tarantino (roteiro); Produção: Meir Teper e Gianni Nunnari; Co-produção: Elizabeth Avellan, John Esposito, Paul Hellerman e Robert Kurtzman; Produção Executiva: Quentin Tarantino, Robert Rodriguez e Lawrence Bender; Trilha Sonora: Graeme Revell; Diretor de fotografia: Guilherme Navarro; Edição: Robert Rodriguez; Elenco: Elaine J. Huzzar e Johanna Ray; Design de Produção: Cecília Montiel; Direção de Arte: Mayne Schuyler Berkel; Cenários: Felipe Fernández del Paso; Figurinos: Graciela Mazón; Efeitos de Maquiagem: Howard Berger, Kamar Bitar, Robert Kurtzman e Greg Nicotero; Som: Dean Beville; Efeitos Sonoros: William Jacobs e Rob Nokes; Efeitos Especiais: Thomas L. Belíssimo; Efeitos Visuais: James Belkin, Diana Dru Botsford, Daniel Fort, Rochelle Gross, Robert Stromberg e John C. Wash.

Nenhum comentário: