quarta-feira, dezembro 14, 2005

Série Stephen King 7 / O Iluminado

O Iluminado (The Shining, EUA/ING, 1980)

Um dos maiores (e mais compulsivos, inteligentes e obsessivos) diretores de todos os tempos, Stanley Kubrick nos brinda com a sua visão do gênero terror, depois de revolucionar a ficção científica (com “2001”) e o épico (com “Spartacus”), para ficar nos mais famosos; utilizando como base o livro de Stephen King, “O Iluminado” é uma experiência que dificilmente deixará de causar impacto no espectador.
Jack Torrance (Jack Nicholson, magnífico) é um perdedor. Depois de perambular por vários empregos, dos quais era despedido por seu comportamento agressivo (alcoolismo), ele recebe uma proposta do gerente do Hotel Overlook, no Colorado, Stuart Ullman: passar o inverno no hotel, cuidando para que nada aconteça de errado com as instalações e o estabelecimento possa voltar a funcionar sem problemas na próxima temporada. O inverno no Estado leva de 4 (quatro) a 5 (cinco) meses para encerrar, o que ocasiona um completo isolamento dos habitantes; no caso, o zelador Jack e sua família, Wendy (Shelley Duvall) e o filho de seis anos Danny (Danny Lloyd, no seu primeiro papel no cinema).
Danny tem poderes especiais, chamado no filme de “shining” (iluminação), que o permite visualizar o passado e o futuro, além de ter insights sobre os locais onde está e as pessoas que o rodeiam e praticar telepatia, representado pelo amigo imaginário Tony. Sabendo que é praticamente sua última oportunidade de se reerguer, Jack aceita o emprego, contando com a possibilidade de terminar um romance que estava escrevendo e, quem sabe, mudar de vida definitivamente e a família se muda para o hotel. Lá, eles conhecem o chefe da cozinha, Dick Hallorann (Scatman Crothers), que também é um “iluminado”. Ele avisa Danny que o hotel é um local ruim, impregnado de maldade e pede para que tome cuidado e proteja sua família.
Dono de uma história trágica e recheada de acontecimentos violentos, o Hotel Overlook começa a influenciar Jack, que lentamente decai para um estado de completa loucura, onde sua esposa e filho terão que fazer de tudo para sobreviver.
Um triunfo de sugestão e narrativa, o filme é simplesmente arrasador. Todas as características de Kubrick estão presentes: os ambientes anti-sépticos, sem uma partícula de sujeira; o desenvolvimento gradual da trama e a combinação de ângulos de câmera elegantes com uma trilha sonora complementar e não invasiva.
O estilo obsessivo de filmar, com enorme quantidade de repetições da mesma cena, chegando à quantidade de 127 takes de uma mesma cena com Shelley Duvall, rendeu pelo menos um episódio interessante: na cena em que Jack ataca Dick Hallorann, Kubrick queria pelo menos 70 takes; quando estavam na 40ª repetição, o veterano Scatman Crothers, então com 70 anos de idade, sentou, começou a chorar e perguntou “O que o senhor quer, Sr. Kubrick?”. Outra faceta do diretor: o menino Danny Lloyd somente descobriu que estava filmando um filme de terror mais de sete anos depois; através de truques e conversas, o diretor tirava todas as reações do garoto sem que ele desconfiasse do que estava realmente acontecendo.
O resultado não poderia ter sido outro. Um filme poderoso e que mantém o encanto, mesmo depois de tantos anos. Todo fã de cinema, e especialmente de terror, tem que assistir.
Foi refilmado, em 1997, como mini-série para a TV, onde o escritor Stephen King teve a chance de, finalmente, ter a sua visão na tela; os dois, Kubrick e King, tiveram variadas divergências criativas durante a filmagem, apesar de manterem a amizade e o respeito. Nem é preciso dizer que a versão para a TV, apesar de muito mais fiel ao livro, perde de goleada para a adaptação do genial e esquisito diretor inglês...

Elenco: Jack Nicholson (Jack Torrance), Shelley Duvall (Wendy Torrance), Danny Lloyd (Danny Torrance), Scatman Crothers (Dick Hallorann), Barry Nelson (Stuart Ullman), Philip Stone (Delbert Grady), Joe Turkel (Lloyd, barman do Overlook), Anne Jackson (Médica), Tony Burton (Larry Durkin), Lia Beldam (Jovem na banheira), Billie Gibson (Anciã na banheira), Barry Dennen (Bill Watson), David Baxt (Ranger 1), Manning Redwood (Ranger 2), Robin Pappas (Enfermeira), Alison Coleridge (Suzie, secretária do Sr. Ullman), Burnell Tucker (Policial), Jana Sheldon (Aeromoça), Kate Phelps (Recepcionista), Norman Gay (Convidado Ferido).

Diretor: Stanley Kubrick; Roteiro: Stanley Kubrick e Diane Johnson, baseados no livro “The Shining”, de Stephen King; Produção: Stanley Kubrick, Mary Lea Johnson, Martin Richards e Robert Fryer; Produção Executiva: Jan Harlan; Trilha Sonora: Wendy Carlos e Rachel Elkind, com músicas de Bèla Bartók, György Ligeti e Krzysztof Penderecki; Direção de Fotografia: John Alcott; Edição: Ray Lovejoy; Elenco: James Liggat; Design de Produção: Roy Walker; Direção de Arte: Leslie Tomkins; Figurinos: Milena Canonero; Maquiagem: Barbara Daly e Tom Smith; Som: Dino Di Campo, Jack Knight e Wyn Ryder.

Nenhum comentário: