quarta-feira, novembro 30, 2005

Série Stephen King 3 / O Aprendiz

O Aprendiz (Apt Pupil, EUA, 1998)

Adaptação da novela “Aluno Inteligente”, que foi publicada no Brasil no livro “As Quatro Estações”. Realizada pelo diretor Bryan Singer, conta a história de Todd Bowden (Brad Renfro), um típico garoto americano que, após ter seu interesse pela Segunda Guerra Mundial e os campos de concentração despertados por uma professora, descobre que um senhor das redondezas onde mora, Arthur Denker (Ian McKellen) é, na verdade, Kurt Dussander, ex-chefe do campo de concentração de Patin, onde foi pessoalmente responsável pelas mortes de mais de 450 mil judeus.
Todd confronta o velho alemão com as informações que tem e começa a chantageá-lo para que este conte tudo o que fizera no campo, com detalhes. Com o tempo, os dois desenvolvem uma estranha simbiose, onde o nazista fugitivo e o garoto se tornam dependentes um do outro, afetando grandemente suas mentes; em Dussander, o prazer e a sensação de poder que controlar os destinos de milhares de pessoas lhe dava ressurge e em Bowden despertam os instintos de violência e amoralidade que estavam latentes. Ambos passam a dormir mal, ter pesadelos e descobrem que a única forma de extravasar e recuperar a paz é matar, até o clímax onde os fantasmas de Dussander e Bowden finalmente os alcançam de modo inesperado.
O filme é um estudo sobre os demônios que habitam os corações e mentes dos homens. Como pode ser possível para um ser humano cometer tamanhas atrocidades contra um semelhante sem ser afetado? No roteiro, isso fica claro: ninguém fica indiferente, todos são atingidos de alguma forma.
Nessa abordagem, tudo dependeria do desempenho dos atores para passar ao público o efeito devastador que o contato com os mais baixos instintos pode causar; e a dupla central está espetacular. Nada diferente poderia ser esperado de um ator do calibre do shakespeareano Sir Ian McKellen, de competência e capacidade comprovadas por décadas de performances excelentes. A grata surpresa é Brad Renfro, que demonstra muito talento e expressividade num papel difícil, pois além da complexidade emocional do personagem, teve que duelar com o tarimbado ator britânico sem ser engolido por ele em cena.
Com uma mensagem muito forte, o diretor Bryan Singer comprova seu potencial ao manter a imparcialidade e filmar o roteiro de maneira segura, sem tomar o partido de um ou outro lado, deixando que o espectador tire suas próprias conclusões, além de tirar uma performance sensacional do jovem Renfro.
O elenco de apoio valoriza o desempenho dos protagonistas, principalmente o personagem de David Schwimmer, que é o representante do homem comum nessa história (apesar de ainda ter alguns vícios do personagem que interpretou na série de TV “Friends”, o que irrita um pouco, como a constante vacilação e a aparente falta de capacidade de fazer o que deve ser feito sem a ajuda de alguém; às vezes parece que o ator está esperando pelas risadas falsas soarem para ter certeza de que encontrou o tom certo para suas falas), ele é quem dá o contraponto para os eventos do roteiro, que nada têm de ordinário ou cotidiano.
Tirando esse pequeno defeito, um filme muito interessante e que merece ser descoberto.

Elenco: Brad Renfro (Todd Bowden), Ian McKellen (Kurt Dussander/Arthur Denker), Bruce Davison (Richard Bowden), Ann Dowd (Monica Bowden), David Schwimmer (Edward French), Michael Byrne (Ben Kramer), Elias Koteas (Archie), James Karen (Victor Bowden), Marjorie Lovett (Agnes Bowden), Joshua Jackson (Joey), Heather McComb (Becky Trask), Jan Triska (Isaac Weisskopf), Joe Morton (Dan Richler), Michael Artura (Detetive Getty),

Diretor: Bryan Singer; Roteiro: Brandon Boyce, baseado na novela “Aluno Inteligente”, de Stephen King; Produção: Jane Hamsher, Don Murphy, Bryan Singer e Tom DeSanto; Produtores Associados: John Ottman e Jay Shapiro; Produção Executiva: Tim Harbert; Trilha Sonora: John Ottman; Direção de Fotografia: Newton Thomas Sigel; Edição: John Ottman; Elenco: Kathryn Eisenstein e Francine Maisler; Design de Produção: Richard Hoover; Direção de Arte: Kathleen M. McKermin; Cenários: Jennifer Herwitt; Figurinos: Louise Mingenbach; Maquiagem: Daniel Parker e Joni Powell; Som: Chuck Michael; Efeitos Especiais: Phillip Beck Jr.

Nenhum comentário: