quarta-feira, novembro 23, 2005

Creepshow - Show de Horrores

Creepshow – Show de Horrores (Creepshow, EUA, 1982)
Dois dos maiores mestres do terror no cinema e na literatura se uniram para fazer este filme, sendo um deles George A. Romero (diretor da série de mortos-vivos mais famosa do cinema, começando com o clássico “A Noite dos Mortos-Vivos”, de 1968 e terminando com “Terra dos Mortos”, lançado este ano nos cinemas, além de outros filmes do gênero) e, o outro, Stephen King, simplesmente o mais bem-sucedido escritor de terror de todos os tempos, autor de “O Iluminado” e outros livros de enorme sucesso de púbico. Um encontro feito no Inferno!
Os dois resolveram homenagear dois formatos que já tiveram seus dias de glória, o dos gibis de terror da E.C. Comics, nos anos 50; e o do filme de episódios, que teve seu auge nos anos 60 e 70 na Inglaterra. Assim, King adaptou dois contos seus e mais três histórias das revistas, que George A Romero dirigiu, conduzidos por uma trama entreatos, igualzinho nos filmes ingleses.
A história condutora é a de um menino (Joe King, filho do escritor) que foi pego pelo pai (Tom Atkins) com uma revista em quadrinhos de terror da E.C Comics e severamente repreendido, pois a revista era “imoral”. O pai joga fora a revista e esta é levada pelo vento; aí, o prólogo se transforma em uma animação e somos apresentados às histórias da revista por uma caveira encapuzada.
O primeiro segmento é “O Caixote”, onde um professor universitário, Henry (Hal Holbrook) é tiranizado pela esposa vulgar e inconveniente (Adrienne Barbeau). Uma noite, depois de mais uma que a esposa aprontou com ele em uma festa na universidade, Henry é chamado para ver um caixote encontrado debaixo de uma escada, parte de uma expedição para um local desconhecido; ao descobrir o conteúdo do caixote, Henry encontra a solução para seu problema conjugal...
O segundo é “Dia dos Pais”, onde o patriarca tirano de uma família interesseira finalmente recebe o bolo que queria de presente...mesmo depois de morto. Atenção para uma das primeiras participações de Ed Harris (“Os Eleitos”, “A Rocha”) no cinema.
O terceiro é “Algo para te Prender”, onde um marido traído (Leslie Nielsen, antes de virar o rei da comédia besteirol com a série “Corra Que A Polícia Vem Aí”) trama uma vingança macabra contra a mulher (Gaylen Ross) e o amante dela (Ted Danson). Mas não é somente ele que quer vingança...
O quarto é o mais fraco, “A Morte Solitária de Jordy Verrill”, onde um caipira (Stephen King) encontra um meteoro na sua fazendinha miserável; ao quebrá-lo, liberta uma praga que toma conta de tudo....tudo mesmo!
O quinto e último é o mais legal, “Eles Estão Em Cima de Você”, onde um milionário intratável, recluso e neurótico por limpeza (E.G. Marshall) é atacado pelos seus maiores inimigos, implacavelmente: as baratas!
Com bom nível de produção, os efeitos especiais e de maquiagem são dos melhores, além de bons cenários e uma ótima animação, com a participação de feras como Jack Kamen (da E.C. Comics) e Berni Wrightson (da D.C Comics). O ritmo do filme não cai muito, exceto no quarto segmento, onde fica arrastado e prejudicado também pela péssima atuação de Stephen King, que, para meu alívio nunca mais atuou num papel de mais destaque, se limitando a pontas no estilo Hitchcock em alguns filmes baseados em livros seus. A mão segura de Romero mantém o suspense e valoriza o trabalho criativo dos técnicos e colaboradores habituais com enquadramentos inusitados e uma edição competente, auxiliado pelo elenco homogêneo, destacando Adrienne Barbeau, simplesmente detestável e Leslie Nielsen, bastante assustador e diferente do panacão dos filmes que realizou a partir de 1987.
Uma bonita homenagem e um bom filme de terror e suspense para os fãs. Altamente recomendável!
Gerou duas seqüências (que foram piorando de qualidade, com a saída de Romero na direção) e tem uma refilmagem prevista para estrear em 2007 (para que fazer i$$o, eu não entendo; espero que não fique uma porcaria como a maioria dos remakes).
Elenco:
“O Caixote” – Hal Holbrook (Professor Henry Northrop), Adrienne Barbeau (Wilma “Billie” Northrop), Fritz Weaver (Professor Dexter Stanley), Robert Harper (Charlie Gereson), Don Keefer (Mike) e Daryl Ferrucci (Fofo).
“Dia dos Pais” - Carrie Nye (Sylvia Grantham), Viveca Lindfors (Bedelia Grantham), Warner Shook (Richard Grantham), Jon Lormer (Nathan Grantham), John Amplas (Nathan Grantham – morto), Ed Harris (Hank Blaine), Elizabeth Regan (Cass Blaine) e Nann Mogg (Sra. Danvers).
“Algo para te Prender” - Leslie Nielsen (Richard Vickers), Ted Danson (Harry Wentworth) e Gaylen Ross (Becky Vickers).
“A Morte Solitária de Jordy Verrill” – Stephen King (Jordy Verrill) e Bingo O´Malley (Pai de Jordy/Médico/Professor).
“Eles Estão em Cima de Você” – E. G. Marshall (Upson Pratt), Gwen Verdon (Lenora Castonmeyer – voz) e David Early (White).
“Prólogo/Epílogo” – Joe King (Billy), Iva Jean Saraceni (Mãe), Tom Atkins (Pai), Tom Savini (Gari 1) e Marty Schiff (Gari 2).
Diretor: George A. Romero; Roteiro: Stephen King; Produção: Richard P. Rubinstein, David E. Vogel e Maureen Andersen; Produtor Executivo: Salah M. Hassanein; Trilha Sonora: Michelle Dibucci e John Harrison; Direção de Fotografia: Michael Gornick; Edição: Pasquale Buba, George A. Romero, Paul Hirsch e Michael Spolan; Direção de Arte: Larry Fulton; Design de Produção: Cletus Anderson; Figurino: Bárbara Anderson; Som: Pam De Metrius; Efeitos Especiais: Cletus Anderson e Tom Savini; Animação: Rick Catizone, Jack Kamen e Berni Wrightson.

Nenhum comentário: