quarta-feira, novembro 23, 2005

Anjos Rebeldes 2

Anjos Rebeldes II (The Prophecy II; The Prophecy: Ashtown, 1998)
A primeira sequência do grande sucesso de 1995, “Anjos Rebeldes”, este filme traz de volta o arcanjo Gabriel, mais uma vez vivido por Christopher Walken, em sua busca da vantagem na Guerra angelical à qual fomos apresentados no primeiro.
De volta do inferno, onde nem Lúcifer o agüentou, Gabriel busca agora deter o mais novo plano da facção rival, que é obter um Nefilim, híbrido de anjo com humano, dotado do poder dos anjos e do livre arbítrio dos humanos e que acabará com a guerra, apaziguando os conflitos e finalmente abrindo o Céu para os humanos. Para isso, os anjos enviam à Terra Daniel (Russell Wong) para que este tenha uma relação com Valerie (Jennifer Beals) e dela nasça a criança que trará o equilíbrio.
Embora muito interessante, não foge à regra das seqüências, sendo inferior ao original; neste fica muito clara a maior quantidade de recursos que foram dados aos realizadores, com tomadas de efeitos especiais melhores e bem-cuidadas, além de cenários grandiosos, com o dedo dos irmãos Weinstein, através da companhia Dimension Films (o braço de cinema fantástico da Miramax). Só que quase sempre onde entra grana, sai o cérebro. O desenvolvimento do enredo ficou mais rasteiro e superficial, jogando os conceitos do original no espectador, que se não ainda tinha visto o primeiro fica “boiando” em várias passagens, principalmente em relação aos poderes de Gabriel e da razão pela qual ele persegue os humanos, tornando-o mais um monstro perseguidor de incautos, reduzindo a história forte e interessante, em alguns momentos, a correrias e pancadaria.
Existem muitos pontos altos, claro. O maior deles é o elenco, com exceção da dupla principal, Russell Wong e Jennifer Beals, que entregam performances ridículas em comparação com os colegas, passando sem a menor expressividade o conflito dos personagens. Contudo o resto do elenco está muito bem, tendo participações de diversos atores famosos, como Eric Roberts e outros que na época nem eram tanto e ficaram, como Ethan Embry (da série de TV “Medo.com”) e Brittany Murphy (de “Sin City” e “Recém Casados).
Aos fãs de rock pesado, atentem para a participação especial de Glenn Danzig, como um dos aliados de Gabriel; e um deleite para os fãs de terror hardcore, estão no elenco um ator clássico, Tom Towles (de “A Noite dos Mortos Vivos, versão de 1991 e “Henry – Retrato de um Assassino”) e o sempre presente nas pirações de Brian Yuzna, Bruce Abbott (“Re-Animator”, “Lua Mortal” entre outros), que faz uma ponta como Thomas Doggett, o policial-padre do primeiro filme e temos uma ponta do legista do original, Joseph (Steve Hytner). Outro ponto alto foi terem mantido (dentro do possível, pela maior interferência, óbvia, dos donos da grana) o clima do primeiro filme, graças ao envolvimento de Gregory Widen, diretor e roteirista do original e aqui apenas como produtor, com vários momentos angustiantes e interessantes em relação aos anjos e como eles agem na Terra, mostrando inclusive o Jardim do Éden e alguns diálogos bacanas de Walken, quando ele fala do Grande Dilúvio e do que ele já fez por aqui.
Fazendo um balanço, fica acima da média do gênero e diverte os que gostam de filmes mais diferentes, fugindo do esquemão de terror adolescente. Descobri enquanto pesquisava para escrever esse texto que tem mais três seqüências, sendo que as duas últimas, com os nomes de “The Prophecy: Uprising” e “The Prophecy: Forsaken”, nunca foram lançadas aqui e foram realizadas em co-produção com a Romênia... Confesso que fiquei curioso para assistir. Se alguém já viu, me manda um e-mail para dar indicações de onde achar esses filmes.
Elenco: Christopher Walken (Gabriel), Russell Wong (Daniel), Jennifer Beals (Valerie Rosales), Brittany Murphy (Izzy), Eric Roberts (Miguel), Glenn Danzig (Samael), William Prael (Rafael), Bruce Abbott (Thomas Doggett), Steve Hytner (Joseph), Tom Towles (Detetive Waltrip), Nicki Micheaux (Detetive Kriebel), Renee Victor (Nana), Danny Strong (Julian), J.G. Hertzler (Frei William).
Diretor: Greg Spence; Roteiro: Matthew Greenberg e Greg Spence, baseados nos personagens criados por Gregory Widen; Diretor de Fotografia: Richard Clabaugh; Elenco: Mark Tillman; Trilha Sonora: Dennis Michael Tenney e David C. Williams; Edição: Ivan Ladizinsky; Efeitos Especiais: Jamison Scott-Goei; Maquiagem: Roy Knyrim e J.M. Logan; Direção de Arte: Edward J. Borasch Jr. e Brian Wheeler; Produzido por: Keith Border e Joel Soisson; Produção Executiva: Gregory Widen, Harvey Weinstein, Bob Weinstein e Robert Little; Produtor Associado: Matt Greenberg.

Nenhum comentário: